Manifesto

by Fashion Revolution Brasil 2 months ago
Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedInEmail to someone

Se a inspiração não vem do zero, por que o novo precisa vir?

Por que uma roupa nova precisa ser “zero”? Com tecidos ou botões “zero”. Por que algo novo para o consumo precisa ser novo para o mundo?Precisa ser “zero”?

Na busca pelo zero, zeramos o mundo.

Já é consenso que o modelo de desenvolvimento adotado em escala global desde os anos 50, que vincula felicidade ao consumo, faliu.

A promessa de um mundo melhor pela substituição de objetos deixou seu rastro de degradação.

Seja social, com a exploração da mão de obra. Seja ambiental, com a exploração do mundo.

Um mundo que inverteu valores, onde até um sentimento humano tão profundo, como a felicidade, passou a ser medido pelo poder de compra.

Ao humanizar a mercadoria, projetando nela aspirações de felicidade, nos coisificamos. Somos o que temos: objeto.

Para as gerações atuais, praticamente não resta outra alternativa senão: repensar. E é inegável que os repensamentos mais expressivos tenham emergido, no mundo inteiro, da moda.

Alternativas absolutamente inventivas têm provocado às sensibilidades mais inteligentes. E a vanguarda deste movimento: A Rede. A produção coletiva colocou abaixo o mito do gênio individual.

Aos que se sentem incomodados com o atual estado de coisas, deixamos o convite, faça parte da Rede. Ajude na construção de um mapa – em escala local – das iniciativas para materializar uma nova relação com a moda e com o que vestimos.

Somos o novo, mas não viemos do zero. Viemos de vários, do coletivo, para A Rede.

 

Texto enviado pelo site Lab Fashion  para Fashion Revolution Brasil


Comments are closed here.